sábado, 31 de outubro de 2015

PERCEPÇÃO E CONCENTRAÇÃO


"Estar perceptivo não é a mesma coisa que estar alerta. O estado de alerta é um elevado estado de atenção, geralmente associado a algum grau de estresse, que surge do medo e da excitação. Mas a percepção não envolve estresse, e não é dirigida pelo medo ou pela excitação. A mente está plenamente desperta no presente, relaxada e equilibrada.
Estar perceptivo não requer manter a atenção sobre uma coisa, ou não haver pensamento. Mesmo quando a atenção se move de uma coisa para outra, ainda podemos permanecer perceptivos, porque a percepção flui com a experiência consciente. Ela age como a luz e ilumina a experiência, de modo que é clara na consciência.”

(John Cianciose - A Mente Brilhante - Revista Sophia, Ano 3, nº 10 - Pub. da Ed. Teosófica - p. 19)

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

FORÇA DIVINA


“É uma incoerência pensar que Deus condene como pecadores aqueles que não crêem. Uma vez que o Próprio Senhor habita em todas as criaturas, a condenação significaria Sua própria e completa ruína. Deus jamais pune o homem por não acreditar Nele; é o homem que pune a si próprio. Se alguém não acreditar no dínamo e corta os fios que conectam sua casa àquela fonte, ele se priva das vantagens da energia elétrica. Da mesma forma, rejeitar a inteligência que é onipresente em toda a criação significa negar à consciência o seu vínculo com a Fonte de sabedoria divina e o amor que possibilita o processo de ascensão ao Espírito.”

(Paramahansa Yogananda – A Yoga de Jesus – p. 72)



quinta-feira, 29 de outubro de 2015

COMUNHÃO


“Encontre um lugar de recolhimento em sua casa onde possa ficar a sós. Esteja você com o coração pesado ou cheio de alegria e paz de espírito, sente-se tranquilamente e comungue com Deus na linguagem do coração. Se perseverar, definitivamente receberá Sua resposta; não pode ser de outra maneira. Quanto mais conversar com Ele – não em orações pomposas ou papagueadas, mas relacionando-se pessoalmente com Ele nas profundezas de seu coração – tanto mais verá que, de formas inesperadas, começará a sentir a resposta Dele dentro de você. Nós podemos conhecer Deus, podemos comungar com Ele e sentir Seu amor em nossa vida.” 

(Sri Daya Mata – No Silêncio do Coração – p. 110/1)

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

VONTADE



“Determine-se a resolver todos os problemas criados pelo movimento dos opostos e sobrepuje todas as dificuldades; queira tentar saltar qualquer precipício ou cair em qualquer abismo, na inabalável convicção de que enquanto cada vestimenta da manifestação possa ser espatifada até seus átomos, o invencível e eterno Você permanecerá e se elevará.”

(N. Sri Ram, Pensamentos para aspirantes ao caminho espiritual, pg. 24)


terça-feira, 27 de outubro de 2015

UMA ALEGRIA INFINITA



"(...) o livro Um Curso em Milagres (Glen Ellen, Foundation for Inner Peace) ensina que o que acontece no mundo é apenas uma cortina de fumaça com o objetivo de encobrir uma luz que não pode ser encoberta; quando descobrimos isso procuramos eliminar a cortina para olhar e vivenciar o que está além dela. Somos prisioneiros da fumaça até o momento que nos voltamos para dentro e do fundo do nosso silêncio interno redescobrimos, nas asas do silêncio, a sabedoria da luz. Essa sabedoria fala da necessidade de mudar nossa visão de mundo e de deixar de lado, a visão egotista para abraçar a visão iluminadora que transborda dos ensinamentos dos grandes mestres de todos os tempos.”

(Antonio Monteiro dos Santos - O silêncio e a verdade interior - Revista Sophia, Ano 12, nº 52 - p. 21)

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

A MENSAGEM DE JESUS SOBRE OS ENSINAMENTOS ESPIRITUAIS


"Não deis aos cães o que é santo, nem atireis aos porcos as vossas pérolas, para que não as pisem com os seus pés e, voltando-se contra vós, vos despedacem. 

Neste ponto, Jesus diz aos apóstolos como eles devem ensinar a verdade de Deus. Adverte-os a terem discernimento, a pregarem apenas aos que estiverem preparados para receber e cumprir o ensinamento. Encontramos passagens paralelas nos textos do Vedanta. No Mundaka Upanishad lê-se: 'Que a verdade de Brahma seja ensinada apenas aos que obedecem à sua lei, que lhe são devotados e que têm a pureza de coração.' Igualmente, após transmitir a mensagem do Gita a Arjuna, Sri Krishna diz: 'É preciso que jamais digas esta santa verdade a ninguém que não tenha autocontrole e devoção, ou que despreze seu mestre e caçoe de mim.'
O verdadeiro guru não confia um preceito elevado a um homem sem espiritualidade, que possa interpretá-lo mal, empregá-lo de forma errada para justificar seus desejos mundanos ou ridicularizá-lo. Há certas condições que precisam ser cumpridas antes que alguém possa assimilar a verdade religiosa. É preciso que possua pureza, sede do conhecimento divino e perseverança. Quando aspirante e mestre estão devidamente qualificados, a vida espiritual torna-se frutuosa. Os Upanishads nos dizem que muitas pessoas, embora ouçam falar do Eu, não o compreendem.”

(Swami Prabhavananda - O Sermão da Montanha Segundo o Vedanta - Ed. Pensamento, São Paulo - p. 122)

domingo, 25 de outubro de 2015

MEDITAÇÃO


“Através do progresso da vida meditativa, cada um vai limpando seu passado e suas vestimentas e escrevendo novas e mais belas páginas no grande livro de sua vida, sabendo que o que não puder realizar hoje mediante trabalho e observância, será possível realizar em outra ocasião. Desaparece o temor e o receio para com a natureza, pois sabe de maneira inquestionável, que tudo depende de si mesmo, que pode conquistar tudo, que não existem cumes inacessíveis para o Ser resoluto e disposto a realizar o trabalho que cada estado, cada nível, cada faculdade e cada poder exige para ser conquistado.”

(Vicente Fiumano, Os Fundamentos Esotéricos da Meditação, Porto Alegre, Imprensa Livre, pg. 32)

sábado, 24 de outubro de 2015

AMOR E SERVIÇO


“Nós não atingiremos o objetivo pelo pensamento e pela meditação somente. Ele deve ser equilibrado pelo amor e serviço à vida toda que nos cerca. Isso inclui não apenas aqueles a quem amamos, mas também aqueles a quem não amamos, mas que necessitam; e ainda mais, todos os reinos da Natureza, mesmo as flores e os objetos inanimados. Para o homem desperto para a espiritualidade não há nada ‘comum’ ou ‘impuro’. Ele não pode deixar de tratar tudo com respeito e bondade.”

(Clara Codd, A Técnica da Vida Espiritual, Editora Teosófica, pg. 9)

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

AVALIE OS SEUS OBJETIVOS



“Em vez de perder tempo preocupando-se, pense positivamente a respeito de como a causa do problema pode ser afastada. Se você quiser livrar-se de um problema, analise tranquilamente sua dificuldade, estabelecendo ponto por ponto os prós e os contras do assunto. Em seguida, avalie quais seriam os melhores passos para realizar seus objetivos.
Esqueça o passado porque ele já não está sob seu domínio! Esqueça o futuro porque ele está fora do seu alcance! Domine o presente! Viva supremamente bem agora! Isso levará o passado, para deixá-lo imaculado, e obrigará o futuro a ser brilhante. Esse é o modo de ser dos sábios.”
(Paramahansa Yogananda – Paz interior – Ed. Self-Realization Fellowship – p. 88/89)

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

A JORNADA


“Alguns se deleitam nos jardins do caminho.
Outros desistem de andar, batidos e abatidos pelas agruras da estrada.
Enfeitiçados pelo agradável ou amedrontados pelos fantasmas do dissabor, quase todos ficam por aí, presos pelos aparentes.
Aos que gozam, a sugestão – prossigam.
Aos que sofrem, o conselho – continuem andando.
Persistência e equanimidade é que desvelam o Real.”
(Hermógenes – Mergulho na paz – Ed. Nova Era, Rio de Janeiro – p. 111/112)

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

A MÔNADA



“A concepção oculta do homem é a de que ele é um universo em miniatura, um universo que está em processo de formação. O fato de que ele é uma Mônada no plano mais superior reforça o conceito de que seja o que emanar dessa unidade deve constituir um todo. A totalidade é quebrada por gradações de matéria, e matéria significa limitação e resistência. As forças provenientes da Mônada, o seu poder e luz são canalizados crescentemente nesta matéria de muitas densidades. (...)”
(N. Sri Ram, O Homem sua Origem e Evolução, Editora Teosófica, pg. 89)


terça-feira, 20 de outubro de 2015

AUTOSSACRIFÍCIO


"(...) O autossacrifício deve ser exercido com discernimento; e um tal abandono de si mesmo, se empreendido sem justiça, ou cegamente, sem considerar os resultados subsequentes, pode com frequência se provar não apenas inútil, mas prejudicial."
(H. P. Blavatsky, (Chave), Momentos de Sabedoria, Ed. Teosófica, pg. 240)

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

DISCERNIMENTO



“É uma incoerência pensar que Deus condene como pecadores aqueles que não creem. Uma vez que o Próprio Senhor habita em todas as criaturas, a condenação significaria Sua própria e completa ruína. Deus jamais pune o homem por não acreditar Nele; é o homem que pune a si próprio. Se alguém não acreditar no dínamo e corta os fios que conectam sua casa àquela fonte, ele se priva das vantagens da energia elétrica. Da mesma forma, rejeitar a inteligência que é onipresente em toda a criação significa negar à consciência o seu vínculo com a Fonte de sabedoria divina e o amor que possibilita o processo de ascensão ao Espírito.”
(Paramahansa Yogananda – A Yoga de Jesus – Ed. Self-Realization Fellowship – p. 72)

domingo, 18 de outubro de 2015

TRANSFORMAÇÃO




“Como já dissemos, não é o sofrimento como tal que transforma o homem, mas é o sofrimento compreendido e aproveitado. Mas o homem que nunca viveu no seu interior por uma profunda interiorização ou meditação, dificilmente pode sofrer com serenidade, não pode dizer 'eu transbordo de júbilo no meio de todas as minhas tribulações'. O homem profano, sem sofrimento transformador, continua a vida inteira como lagarta pesada e comilona - ao passo que o homem que passou por um sofrimento compreendido, e aceito, entra numa atitude de serenidade e leveza, que faz lembrar o adejar silencioso da borboleta, que, apesar disto, continua a manter o contato com a terra.”
(Huberto Rohden - Porque Sofremos - Ed. Martin Claret, São Paulo, 2004 - p. 64)

sábado, 17 de outubro de 2015

AMOR CRÍSTICO



"O amor puro nos corações humanos irradia o amor universal de Cristo. Expandir continuamente o círculo do amor significa sintonizar a consciência humana com o Filho unigênito. O amor aos membros da família é o primeiro passo para a expansão do amor que sentimos por nós mesmos, de modo a incluir os que nos são próximos; amar todos os seres humanos, de qualquer raça ou nacionalidade, significa conhecer o amor de Cristo.”
(Paramahansa Yogananda – A Yoga de Jesus - Ed. Self-Realization Fellowship – p. 73/74)

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

A MENTE NA MEDITAÇÃO


"Muito pouco progresso pode ser feito para entrar na consciência elevada, permanecer ali e desenvolver a faculdade de entrar nela à vontade, até que a mente tenha sido submetida a um controle razoável. Não existe uma fórmula fácil para isto, apesar de algumas pessoas terem mais facilidade natural do que outras. (...)
O controle da mente, que é necessário, deve ser desenvolvido pela prática e pelo exercício da vontade. Todos os poderes da vontade e da mente devem ser utilizados para alcançar a capacidade requerida. Se a mente vaguear, é uma boa prática trazê-la à força de volta pelo caminho que ela se extraviou. Com o tempo isto a trará sob controle, estabilizando-a. Não existe nenhum substituto para esta concentração preliminar. Devemos praticá-la até que seja aprendida; se não for assim, a condição meditativa continuará a nos frustrar.”
(Geoffrey Hodson - A Suprema Realização através da Yoga - Ed. Teosófica, Brasília, 2001 - p. 98/99)

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

AUTOCONFIANÇA



"Há ainda inúmeras páginas do registro de vossa vida por escrever; brancas e limpas elas estão. Rebento de vossa raça e de vossa era, tomai a pena diamantina e enchei-as com a história de nobres ações, dias bem gastos, anos de santa luta. Assim, ganhareis vossa senda, sempre ascendente, para os planos superiores da consciência espiritual." 
(K. H., Meditações, Excertos de Cartas dos Mestres de Sabedoria, Ed. Teosófica)

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

PERCEBIMENTO



“Triste mundo onde ainda quase todos vivemos insensíveis à miséria dos ricos; à fragilidade dos violentos; à torpeza dos valentes; à ignorância dos eruditos; ao tédio dos eróticos; à indigência espiritual dos malvados; à dúvida dos dogmáticos; à insegurança dos opulentos; à tragédia das meretrizes; ao desalento dos fortes; à imaturidade dos corruptos; às lágrimas que os sorrisos, em vão, tentam esconder; aos dramas que as comédias disfarçam...
Que mundo triste esse, no qual nos distraímos com as aparências, iludimo-nos com as máscaras, divertimo-nos com as fantasias e pantomimas que todos representam!”
(Hermógenes – Mergulho na paz – Ed. Nova Era, Rio de Janeiro – p. 86/87)

terça-feira, 13 de outubro de 2015

ALTRUÍSMO


“À medida que o homem verdadeiramente espiritual dá a quem quer que necessite, ele se esvazia apenas para ser recarregado na Fonte inesgotável dentro dele mesmo; ele não é uma poça de estagnação mas uma fresca nascente de águas cristalinas, que revigora a todos os que estão em volta.”
(N. Sri Ram, Pensamentos para aspirantes ao caminho espiritual, pg. 108)

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

DISCERNIMENTO



“Agir, e agir sabiamente quando chegar o tempo de ação, esperar, e esperar pacientemente, quando for tempo para repouso, põe o homem em harmonia com os altos e baixos das marés (da vida), e deste modo, tendo a lei e a Natureza como respaldo, e a verdade e a caridade como faróis luminosos a lhe indicarem o caminho, ele poderá realizar maravilhas.”
(H. P. Blavatsky, Ocultismo Prático)

domingo, 11 de outubro de 2015

COMO AMAR?


“Não basta observar o mandamento: “Não matarás!” Mesmo o pensamento de matar, de odiar, é tão mortal quanto o próprio ato. Podemos achar que não importa o que pensemos, desde que ajamos corretamente. Mas, quando chega a hora da provação, acabamos por trair-nos, porque os pensamentos controlam os atos. Na hora da provação, se nossas mentes estão cheias de ódio, esse ódio se traduzirá em atos de violência, de destruição, de morte. Postar-nos no púlpito e falarmos sobre o amor não nos ajudará; não acabará com a guerra e com a crueldade – se faltar amor em nossos corações. O amor não virá a nós simplesmente porque dizemos que o possuímos, ou porque procuramos impressionar os outros com a doçura aparente de nossas naturezas. Ele ocorrerá somente quando tivermos controlado interiormente nossas paixões e tivermos dominado nosso ego. Então o amor divino crescerá em nós e, com ele, o amor aos nossos semelhantes. Mas o amor de Deus conquista-se com a autodisciplina, que deixamos de pôr em prática. Esquecemo-nos da finalidade da vida: a percepção e a visão de Deus. Esta é a nossa real dificuldade e é por isso que, quando Jesus nos pede que amemos nossos inimigos, somos incapazes de obedecer-lhe, mesmo que o queiramos. Não sabemos como fazer.
Não podemos amar a Deus e odiar nosso próximo. Se, de fato, amamos a Deus, nós o encontraremos em todos; assim, como podemos odiar alguém? Se prejudicamos alguém, prejudicamos a nós próprios; se ajudamos alguém, ajudamos a nós próprios. Todos os sentimentos de separação, de exclusivismo e de ódio não são apenas moralmente errados – são também ignorância, porque negam a existência da Divindade onipotente.”
(Swami Prabhavananda – O Sermão da Montanha segundo o Vedanta)

sábado, 10 de outubro de 2015

A HARMONIA NASCE DO AMOR E DA SABEDORIA



"A harmonia nasce do amor e da sabedoria. Estes, por sua vez, são o produto de um coração puro e expansivo. Um coração puro resulta de pensamentos puros. A pureza mental decorre de um processo seletivo em que a mente faz a triagem dos pensamentos bons e maus, rejeitando os últimos e permanecendo sempre com os primeiros. Com a repetição e com o reforço dos pensamentos aplicados à ação, o discernimento passa a ser um hábito virtuoso. Quando cessa o conflito mental das divergências devido à eliminação dos pensamentos errados, surge na sua vida uma harmonia tanto externa quanto interna. Portanto, sempre que seus pensamentos se engalfinharem numa batalha já conhecida, use a sabedoria para mediar as diferenças e verá que os conflitos angustiantes não o perturbarão mais! É o testemunho e a experiência de todos os que praticam a yoga.”

(Paramahansa Yogananda - Jornada para a Autorrealização - Self-Realization Fellowship - p. 102/103)

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

SEGREDOS DO PROGRESSO ESPIRITUAL


"Para formar hábitos espirituais, é essencial ter um conjunto de normas espirituais. Paramahansa Yogananda dizia que não gostava de regras, mas que no início elas são necessárias ao devoto aspirante. Quando a pessoa aprende a se comportar, as regras se tornam desnecessárias.
Interpretado à luz da sabedoria de Swami Sri Yukteswar, 'como se comportar' significa atitude correta e ação que nasce da ininterrupta sintonia com Deus. Quando nos encontramos sempre na consciência Dele, já não precisamos de regras. Até então necessitamos, realmente, da sua disciplina. Não devemos pensar que as regras espirituais são restritivas. Elas são amigas, ajudando a nos guiar, a canalizar nossas energias, pensamentos e atividades de uma forma construtiva que conduz a Deus.”

(Sri Daya Mata - Só o Amor - Self-Realization Fellowship - p. 123/124)

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

OSVALDO CONDÉ EM CURITIBA -

OSVALDO CONDÉ EM CURITIBA - GET ÁGUA VERDE E ESPAÇO ALQUIMIA DO SER
DE 02 A 04 DE OUTUBRO DE 2015



A IGNORÂNCIA


“Era uma vez um arquipélago em mar bonito e largo soprado de ventos suaves e de atmosfera sempre limpa. Nunca se vira nele um tufão.
Naquele mar, sempre a tranquilidade. Na alma de cada ilha, e entre as ilhas, a paz não existia. Ao contrário, eram vaidosas e estavam sempre competindo.
Dizia uma:
- É nas minhas águas que os pescadores acham as pérolas mais valiosos para enfeitar o colo das princesas.
A outra retrucava:
- Esqueces que é nas minhas praias que os poetas do reino, enamorados, compõem os mais belos cânticos. Fazem canções que amenizam os sofrimentos do povo pobre e também dão encanto aos sonhos de amor das princesas.
Uma terceira interferia:
- Onde é que os pescador acham alimento? É nas minhas águas que apanham peixes, tartarugas, camarões... É de mim que retiram o sustento dos filhos. O que sobra vão vender no mercado.
Passaram-se, dias, meses, anos, séculos... Sempre a paz no mar. Sempre a rixa no arquipélago.
Numa tarde, de repente, uma das ilhas começou a sacudir-se e, em poucos minutos, agitada em agonia vulcânica. Desfazendo-se ruidosamente, desapareceu sob as águas.
Enquanto isso, as outras, ainda estupidamente rivais, embora aparentando compaixão, para si mesma diziam: 
- Antes ela do que eu.
Demorou um pouco. Também foram atingidas pela comoção da plataforma, foram igualmente tragadas pelo fogo e pelo mar. 
De si mesma e das outras, cada ilhazinha conhecia apenas o que ficava acima da água. Ignoravam que, no fundo, eram uma só. Ignorantes, não percebiam que o mal ou o bem não atingiria uma sem atingir as outras. Por isso eram orgulhosas, estúpidas e rivais.
Cada homem é uma ilhazinha ignorante no arquipélago da humanidade.”
(Hermógenes – Mergulho na paz, pg. 153/4)

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

EQUILÍBRIO



“O material e o espiritual não são senão duas partes do mesmo universo e da mesma verdade. Ao salientar excessivamente uma parte ou outra, o homem deixa de obter o equilíbrio necessário para o desenvolvimento harmonioso. (...) Pratique a arte de viver neste mundo sem perder a paz mental interior. Siga o caminho do equilíbrio para alcançar o maravilhoso jardim interior da Autorrealização.
Assim como Deus é onipresente no cosmos, mas não é perturbado por sua variedade, também o homem – que como alma é o Espírito individualizado – precisa aprender a participar desse drama cósmico com a mente perfeitamente disposta e equilibrada. 
O aspirante espiritual deve contrabalançar a atividade material, que produz inquietude, com a meditação espiritual, que produz tranquilidade.
Aprenda a ser bastante ativo neste mundo e executar um trabalho construtivo. Mas quando tiver acabado de cumprir seus deveres, desligue seu motor nervoso. Retire-se para o centro de seu ser, onde está a tranquilidade. Afirme mentalmente para si mesmo: 'Estou tranquilo. Não sou um simples mecanismo nervoso. Sou o Espírito. Embora more neste corpo, não sou afetado por ele'. Se você tiver um sistema nervoso tranquilo, terá êxito em tudo o que empreender e, acima de tudo, terá êxito com Deus.”
(Paramahansa Yogananda – Paz Interior – p. 57/58)

terça-feira, 6 de outubro de 2015

A CONSCIÊNCIA E O APEGO


“A consciência limita a si mesma. Ela forma ideias sobre várias questões, e essas ideias tendem a se tornar cristalizações que permanecem na mente. A mente se aferra a elas pelo prazer que proporcionam ou por medo da dor, e então todo o processo do pensamento gira em torno dessas ideias. O homem é um pensador constantemente engajado em ideações de diferentes tipos. Pode não haver nada de errado em formar ideias ou registrar uma sensação agradável. As complicações começam quando nos apegamos às sensações ou às ideias e buscamos a permanência delas.”
(N. Sri Ram, O momento presente, Revista Sophia, Nº 57, pg 35)

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

A LEI DA CAUSA E EFEITO


"Por que é que muitos dos nossos desejos não são atendidos e que numerosos filhos de Deus sofrem intensamente? Deus, com sua divina imparcialidade, não poderia fazer alguns de Seus filhos melhores que os outros. Ele fez, originalmente, todas as almas iguais, e à Sua imagem. Elas receberam, também, os maiores dons de Deus: livre-arbítrio e o poder de raciocinar e agir segundo a razão.
Em algum ponto, em algum momento no passado, [elas] violaram as diversas leis de Deus e produziram, consequentemente, resultados consoante as leis. (...)
O homem usou mal essa independência que Deus lhe deu e, desse modo, trouxe a si próprio a ignorância, o sofrimento físico, a morte prematura e outros males. Ele colheu o que semeia. A lei de causa e efeito [carma] aplica-se a todas as vidas."
(Paramahansa Yogananda – No Santuário da Alma - Self-Realization Fellowship - p. 12)

domingo, 4 de outubro de 2015

DOU A VIDA POR UMA ALMA SINCERA



"Dou a vida por uma alma sincera, mas fico longe das falsas. Nunca sou insincero com ninguém, e é assim que devemos viver no mundo. Precisamos ser corajosos, sinceros e não procurar apenas a companhia das pessoas a quem podemos inspirar, mas também das que nos podem servir de inspiração. Quando somos fortes, podemos ajudar os maus. Mas não tente ajudá-los enquanto você mesmo não estiver mais forte. Do contrário, a companhia dessas pessoas o deixará mais fraco. Muitos dos que tentam reformar os outros acabam sendo contaminados pelo mal.”
( Paramahansa Yogananda - O Romance com Deus - Self-Realization Fellowship - p. 114/115)

sábado, 3 de outubro de 2015

PERDOAR


"Enquanto não nos firmamos na virtude do perdão, não alcançaremos pureza de coração que nos propicia a visão de Deus. A prática do perdão é, pois, de importância fundamental para o aspirante à espiritualidade. No Sermão da Montanha, como vimos, Cristo insiste repetidamente nesta prática. Ele ensina a clemência, a reconciliação e o perdão das dívidas. Mas, além do Sermão, os Evangelhos registram muitos exemplos em que Cristo prega o perdão, tanto preceituando como dando ele próprio o exemplo. Quando Pedro lhe perguntou: 'Senhor, quantas vezes meu irmão pode pecar contra mim, e eu devo perdoá-lo? Até sete vezes?' Respondeu Cristo: 'Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete.'Enquanto não nos firmamos na virtude do perdão, não alcançaremos pureza de coração que nos propicia a visão de Deus. A prática do perdão é, pois, de importância fundamental para o aspirante à espiritualidade. No Sermão da Montanha, como vimos, Cristo insiste repetidamente nesta prática. Ele ensina a clemência, a reconciliação e o perdão das dívidas. Mas, além do Sermão, os Evangelhos registram muitos exemplos em que Cristo prega o perdão, tanto preceituando como dando ele próprio o exemplo. Quando Pedro lhe perguntou: 'Senhor, quantas vezes meu irmão pode pecar contra mim, e eu devo perdoá-lo? Até sete vezes?' Respondeu Cristo: 'Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete.'” 
(Swami Prabhavananda - O Sermão da Montanha Segundo o Vedanta - Ed. Pensamento, São Paulo - p. 105/106)


sexta-feira, 2 de outubro de 2015

AFETIVIDADE



“Ao meu ver, criamos uma sociedade em que as pessoas acham cada
vez mais difícil demonstrar um mínimo de afeto aos outros. Em vez da noção de comunidade e da sensação de fazer parte de um grupo, uma característica que achamos tão reconfortante nas sociedades menos afluentes, encontramos um alto grau de solidão e perda de laços afetivos. Apesar de milhares de pessoas viverem em grande proximidade, parece que muita gente, principalmente os velhos, não tem com quem falar, a não ser com seus bichos de estimação.”
(Dala-Lama, O Caminho da Tranquilidade, Ed. Sextante)

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

CONHECIMENTO


“O conhecimento aumenta na proporção de seu uso - isto é, quanto mais ensinamos mais aprendemos. Portanto, Buscador da Verdade, com a fé de uma criancinha e a vontade de um Iniciado, compartilha daquilo que tens com aquele que nada possui para confortá-lo em sua jornada.”
(H. P. Blsvatsky, Ocultismo Prático, Ed.Teosófica, pg. 43)