quarta-feira, 22 de novembro de 2017

A REENCARNAÇÃO


"O conceito da reencarnação é fundamental na filosofia teosófica. É uma chave que descortina a compreensão de muita coisa acerca da vida humana, que de outra forma permanece sem explicação. No Mundo Ocidental, a maioria geralmente aceita a doutrina de que a alma é criada no nascimento do corpo físico. Entretanto, nos círculos religiosos, existe atualmente um interesse reservado na teoria da reencarnação, e o assunto tem sido até discutido nas áreas da psicologia e antropologia.
Muitos pensadores jamais foram capazes de aceitar um Deus que a determinados indivíduos concede condições de fartura e riqueza e a outros, pobreza e privações; a alguns, concede inteligência e talentos artísticos, negando a outros esses benefícios; que a alguns favorece com grande beleza física e infringe a todos a amargura de deformidades. Estas, e miríades de outras desigualdades são vistas a cada canto. E a pessoa observadora e compassiva pergunta - Como podem reconciliar-se com o conceito de um Deus de justiça e amor, se cada alma é criada de per si? (...)
Além disso, a maioria seria da opinião de que aquilo que se inicia com o tempo deve terminar com o tempo. Contudo, de acordo com os que advogam o ponto de vista tradicional, supõe-se ter a alma um futuro infindável, embora não possua passado. Isso teria tanta razão de ser como se imaginássemos uma vara apenas com uma terminal."

(Emogenes Simmons, Curso Básio de Teosofia, Lição V, Loja Teosófica Dharma)




http://lojateosoficadharma.blogspot.com.br/2017/11/a-reencarnacao-curso-basico-de-teosofia.html

terça-feira, 21 de novembro de 2017

FOCO NO PRESENTE


"A mente, inconscientemente, adora problemas porque eles podem ser de vários tipos. Isso é normal e doentio. A palavra 'problema' significa que estamos lidando mentalmente com uma situação sem que exista um propósito real ou uma possibilidade de agir no momento, e também que estamos inconscientemente fazendo dela uma parte do nosso sentido de eu interior. Ficamos tão sobrecarregados pela nossa situação de vida que perdemos o sentido da vida, ou do Ser. Ou então vamos carregando na mente o peso insano de uma centena de coisas que iremos ou poderemos ter de fazer no futuro, em vez de focalizarmos a atenção sobre uma coisa que podemos fazer agora."

(Eckhart Tolle - Praticando o Poder do Agora)

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

1° SIMPÓSIO DE TRANSDISCIPLINARIDADE E ASTROLOGIA




MAIORES INFORMAÇÕES SOBRE O EVENTO

OBJETIVO DA PROPOSTA:

Promover o Pensamento Sistêmico , Transdisciplinar e a Complexidade como modelos do pensar, indo além dos pacotes disciplinares e os recortes propostos pela especialidade técnica, redescobrindo, discutindo a luz do rigor e dos outros saberes inclusive os saberes relegados ao esquecimento.



Horários e Programação:

08:30 – abertura e credenciamento


09:30 - O Paradigma da Complexidade : Uma abordagem da Inteireza Humana
Na Perspectiva do paradigma da complexidade, propõe-se uma reflexão sobre a Construção de um individuo que possa se perceber como agente atuante numa grande teia interconectada com todos os segmentos da vida.

Celso Klammer
Doutor em Educação, Filósofo, Autor do Livro : Tecnologias da Informação e Comunicação


10:30 - Natureza Humana :  Até onde Freud explica ?
 O Surgimento das Ciências Humanas com foco na Psicanálise de Freud. O Inconsciente e seus aspectos desafiadores com relação a transdisciplinaridade contemporânea.

Antonio Vitorino
Mestre em psicologia, Professor e psicoterapeuta, Psicodramatista


11:30 - Transdisciplinaridade e práticas Sociais
A complexidade e transdisciplinaridade nas práticas e relações sociais. Aquilo que compreendemos como o domínio das ciências não se restringe aos âmbitos científicos, acadêmicos ou de laboratórios. Suas teorias adjacentes tem relação com nossa maneira de ver, interpretar e agir no mundo.

Helena Rodrigues
Pedagoga, Psicóloga, Mestre em Psicologia, PHD em Estética, Valores e Cultura


12:30 – intervalo para almoço


14:30 - Trivium e Quadrivium : A Universidade na Europa nos Séculos XII e XIII
A organização dos saberes nos séculos XII e XIII na Europa : Dialética, Gramática, Retórica, Geometria, Aritmética, Música e Astronomia ( Astrologia ) e a produção dos saberes sob uma ótica integrada.

Cesar Bueno
Astrólogo, Estudioso de história, Membro do Sindicato dos Astrólogos do Estado de São Paulo


15:30 - Antropocosmos : Do Big Bang a Emergência da Consciência
Um Estudo sobre a evolução do Universo desde suas origens, evoluçaão estelar, surgimento da vida, das memórias, dos neurônios, da complexidade, surgindo o sujeito humano, sua psiquú como uma extensão complexa do Universo. O Antropocosmos e a Astrologia.

Carlos Fini
Astronomo, Astrólogo, Especialista em simuladores de Ciencia voltadas a pesquisa e ambientes imersivos em Astronomia e Ciências complexas.


 16:30 - Mesa Redonda: Complexidade, Conhecimento e Astrologia
Com a presença de Professores e profissionais de Astrologia

Adriane Fayet
Angelis Cavichiolo
Cesar Bueno


17:30 - Encerramento

A ILUSÃO É PASSAGEIRA


"O homem pode usar equivocadamente seu livre-arbítrio por algum tempo, considerando-se mortal, mas essa ilusão passageira nunca conseguirá apagar em seu íntimo a marca da imortalidade e a imagem divina da perfeição. A morte prematura de uma criança talvez não lhe haja permitido usar seu livre-arbítrio para a virtude ou para o vício. Mas a Natureza trará sua alma de volta à  Terra, dando-lhe a oportunidade de usar o livre-arbítrio a fim de redimir o karma passado, que a fez morrer tão jovem, e praticar as boas ações que propiciam a libertação.
Se uma alma imortal não conseguiu, ao longo de uma existência, eliminar as ilusões que a subjugam, precisa de mais períodos de aprendizado para tomar conhecimento de sua imortalidade inata. Só então poderá retornar ao estado de consciência cósmica. As almas comuns reencarnam compelidas por seus desejos mundanos; as almas superiores, ao contrário, apenas em parte vêm à Terra para cumprir o karma, pois seu principal objetivo é atuar como filhos nobres de Deus e apontar às criaturas perdidas o caminho para a morada
celeste do Pai."

(Paramahansa Yogananda, Karma e Reencarnação, Universalismo)
http://universalismoesoterico.blogspot.com.br

domingo, 19 de novembro de 2017

SOBRE A CONFUSÃO DA MENTE


"Se nunca conhecemos o amor, mas só lutas, misérias, conflitos infindáveis, como podemos experimentar aquele amor que nada tem em comum com essas coisas? Uma vez conhecido o amor, já não precisamos ter o trabalho de procurar aquela relação. Então, o amor, a inteligência, entram em ação. Mas, para se experimentar esse estado têm de extinguir-se todo o saber, todas as lembranças acumuladas, todas as atividades egocêntricas, para que a mente não seja mais capaz de projetar sensações. Então, com a experiência desse estado, haverá ação neste mundo.
Sem dúvida, esta é a finalidade da existência — transcender a atividade egocêntrica da mente. Depois de experimentar esse estado que não é mensurável pela mente, então essa própria experiência efetuará uma revolução interior. Então, havendo amor, não haverá mais problema social. Não há mais problemas, quando há amor. Porque não sabemos amar, temos os problemas sociais e sistemas filosóficos para resolvê-los. Digo que esses problemas nunca serão resolvidos por sistema algum, nem da esquerda, nem da direita, nem do centro. Só serão resolvidos — nossa confusão, nosso sofrimento, nossa autodestruição — quando pudermos experimentar aquele estado que não é projetado de nós mesmos."

(J. Krishnamurti, A Primeira e Última Liberdade, Cultrix, pg. 232)

sábado, 18 de novembro de 2017

A BUSCA DA FELICIDADE NO LUGAR ERRADO



"Buscar a felicidade fora de nós mesmos é como tentar agarrar uma nuvem. A felicidade não é uma coisa: é um estado mental. Precisa ser vivida. Nem o poder mundano nem os esquemas de ganhar dinheiro poderão jamais captar a felicidade. A inquietação mental resulta de uma percepção voltada para fora. E essa inquietação significa que a felicidade sempre se mostrará esquiva. O
poder temporal e o dinheiro não são estados da mente. Uma vez obtidos, apenas diluem a felicidade. Com certeza não a podem concentrar.
Quanto mais dispersamos nossas energias, menos poder nos sobra para aplicar a um empreendimento específico. Os hábitos envolventes da preocupação e do nervosismo brotam de profundezas abissais no
subconsciente, lançando tentáculos à volta de nossa mente e eliminando de vez toda a paz interior que porventura tenhamos desfrutado.
A verdadeira felicidade nunca será encontrada fora do Eu. Quem a procura ali age como se estivesse à cata do arco-íris em meio às nuvens!"

(Paramahansa Yogananda, Como ser feliz o tempo todo, Universalismo)
http://universalismoesoterico.blogspot.com.br

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

1° SIMPÓSIO DE TRANSDISCIPLINARIDADE E ASTROLOGIA


MAIORES INFORMAÇÕES SOBRE O EVENTO


OBJETIVO DA PROPOSTA:


Promover o Pensamento Sistêmico , Transdisciplinar e a Complexidade como modelos do pensar, indo além dos pacotes disciplinares e os recortes propostos pela especialidade técnica, redescobrindo, discutindo a luz do rigor e dos outros saberes inclusive os saberes relegados ao esquecimento.



Horários e Programação:

08:30 – abertura e credenciamento


09:30 - O Paradigma da Complexidade : Uma abordagem da Inteireza Humana
Na Perspectiva do paradigma da complexidade, propõe-se uma reflexão sobre a Construção de um individuo que possa se perceber como agente atuante numa grande teia interconectada com todos os segmentos da vida.

Celso Klammer
Doutor em Educação, Filósofo, Autor do Livro : Tecnologias da Informação e Comunicação


10:30 - Natureza Humana :  Até onde Freud explica ?
 O Surgimento das Ciências Humanas com foco na Psicanálise de Freud. O Inconsciente e seus aspectos desafiadores com relação a transdisciplinaridade contemporânea.

Antonio Vitorino
Mestre em psicologia, Professor e psicoterapeuta, Psicodramatista


11:30 - Transdisciplinaridade e práticas Sociais
A complexidade e transdisciplinaridade nas práticas e relações sociais. Aquilo que compreendemos como o domínio das ciências não se restringe aos âmbitos científicos, acadêmicos ou de laboratórios. Suas teorias adjacentes tem relação com nossa maneira de ver, interpretar e agir no mundo.

Helena Rodrigues
Pedagoga, Psicóloga, Mestre em Psicologia, PHD em Estética, Valores e Cultura


12:30 – intervalo para almoço


14:30 - Trivium e Quadrivium : A Universidade na Europa nos Séculos XII e XIII
A organização dos saberes nos séculos XII e XIII na Europa : Dialética, Gramática, Retórica, Geometria, Aritmética, Música e Astronomia ( Astrologia ) e a produção dos saberes sob uma ótica integrada.

Cesar Bueno
Astrólogo, Estudioso de história, Membro do Sindicato dos Astrólogos do Estado de São Paulo


15:30 - Antropocosmos : Do Big Bang a Emergência da Consciência
Um Estudo sobre a evolução do Universo desde suas origens, evoluçaão estelar, surgimento da vida, das memórias, dos neurônios, da complexidade, surgindo o sujeito humano, sua psiquú como uma extensão complexa do Universo. O Antropocosmos e a Astrologia.

Carlos Fini
Astronomo, Astrólogo, Especialista em simuladores de Ciencia voltadas a pesquisa e ambientes imersivos em Astronomia e Ciências complexas.


 16:30 - Mesa Redonda: Complexidade, Conhecimento e Astrologia
Com a presença de Professores e profissionais de Astrologia

Adriane Fayet
Angelis Cavichiolo
Cesar Bueno


17:30 - Encerramento

COMPREENDENDO A MEDITAÇÃO


" Na compreensão da meditação, há amor, que não é produto de sistemas, hábitos ou acompanhamento de um método. O amor não pode ser cultivado pelo pensamento. Talvez possa vir à existência no completo silêncio, silêncio no qual o meditador encontra-se inteiramente ausente; e a mente só pode silenciar quando compreende seu próprio movimento, como pensamento e sentimento. Para compreendê-lo, não pode haver condenação no observar. Observá-lo assim é disciplina, mas um tipo de disciplina fluida, livre, não a disciplina da conformidade."

(J. Krishnamurti, Meditations)

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

O PROPÓSITO DA MEDITAÇÃO


"Na imobilidade e no silêncio da meditação, retornamos num lampejo àquela profunda natureza interior que há tanto perdemos de vista para o mundo dos negócios e das distrações da nossa mente. Não é extraordinário que ela só possa se acalmar por uns poucos instantes sem aferrar-se a uma distração? Nossa mente é de tal forma inquieta e preocupada que às vezes penso que viver numa cidade em nosso mundo de hoje é já viver como os seres atormentados do estágio intermediário que se segue à morte, quando se diz que a consciência é angustiosamente inquieta. De acordo com algumas autoridades, mais de 13% das pessoas nos Estados Unidos sofrem de algum tipo de desordem mental. O que isso diz sobre o modo como vivemos?
Somos fragmentados em tantos aspectos diferentes! Não sabemos quem de fato somos, com que aspectos de nós mesmos devemos nos identificar, ou em quais devemos crer. Tantas vozes, comandos e sentimentos diferentes lutam pelo controle de nossa vida interior que vemo-nos dispersos por toda a parte, em todas as direções, deixando a casa sem ninguém. A meditação, é então, trazer a mente para casa." 

(Sogyal Rinpoche - O Livro Tibetano do Viver e do Morrer - Ed. Talento/Ed. Palas Athena, p. 89)

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

1° SIMPÓSIO DE TRANSDISCIPLINARIDADE E ASTROLOGIA




MAIORES INFORMAÇÕES SOBRE O EVENTO


OBJETIVO DA PROPOSTA:

Promover o Pensamento Sistêmico , Transdisciplinar e a Complexidade como modelos do pensar, indo além dos pacotes disciplinares e os recortes propostos pela especialidade técnica, redescobrindo, discutindo a luz do rigor e dos outros saberes inclusive os saberes relegados ao esquecimento.



Horários e Programação:

08:30 – abertura e credenciamento


09:30 - O Paradigma da Complexidade : Uma abordagem da Inteireza Humana
Na Perspectiva do paradigma da complexidade, propõe-se uma reflexão sobre a Construção de um individuo que possa se perceber como agente atuante numa grande teia interconectada com todos os segmentos da vida.

Celso Klammer
Doutor em Educação, Filósofo, Autor do Livro : Tecnologias da Informação e Comunicação


10:30 - Natureza Humana :  Até onde Freud explica ?
 O Surgimento das Ciências Humanas com foco na Psicanálise de Freud. O Inconsciente e seus aspectos desafiadores com relação a transdisciplinaridade contemporânea.

Antonio Vitorino
Mestre em psicologia, Professor e psicoterapeuta, Psicodramatista


11:30 - Transdisciplinaridade e práticas Sociais
A complexidade e transdisciplinaridade nas práticas e relações sociais. Aquilo que compreendemos como o domínio das ciências não se restringe aos âmbitos científicos, acadêmicos ou de laboratórios. Suas teorias adjacentes tem relação com nossa maneira de ver, interpretar e agir no mundo.

Helena Rodrigues
Pedagoga, Psicóloga, Mestre em Psicologia, PHD em Estética, Valores e Cultura


12:30 – intervalo para almoço


14:30 - Trivium e Quadrivium : A Universidade na Europa nos Séculos XII e XIII
A organização dos saberes nos séculos XII e XIII na Europa : Dialética, Gramática, Retórica, Geometria, Aritmética, Música e Astronomia ( Astrologia ) e a produção dos saberes sob uma ótica integrada.

Cesar Bueno
Astrólogo, Estudioso de história, Membro do Sindicato dos Astrólogos do Estado de São Paulo


15:30 - Antropocosmos : Do Big Bang a Emergência da Consciência
Um Estudo sobre a evolução do Universo desde suas origens, evoluçaão estelar, surgimento da vida, das memórias, dos neurônios, da complexidade, surgindo o sujeito humano, sua psiquú como uma extensão complexa do Universo. O Antropocosmos e a Astrologia.

Carlos Fini
Astronomo, Astrólogo, Especialista em simuladores de Ciencia voltadas a pesquisa e ambientes imersivos em Astronomia e Ciências complexas.


 16:30 - Mesa Redonda: Complexidade, Conhecimento e Astrologia
Com a presença de Professores e profissionais de Astrologia

Adriane Fayet
Angelis Cavichiolo
Cesar Bueno


17:30 - Encerramento